Como escolher um ativo para operar

Existem muitas variáveis para a escolha de ativos e de períodos para se operar
na bolsa de valores. É necessário procurar os ativos que guardem as
características que mais respondem à estratégia que você está usando.

As características mais vistas em um ativo são volatilidade, preço e liquidez.
Fique calmo, são conceitos simples que serão apresentados de forma bem
clara nesse artigo.

A primeira característica que chama a atenção em um ativo é a volatilidade.
Quanto o preço do ativo se desloca durante o dia. Normalmente é o mais visto
pelos traders mas infelizmente é o menos relevante. Volatilidade não é a
melhor característica e sim a liquidez, que veremos mais adiante. Sabe-se que
o deslocamento é importante porque é ele que faz as pessoas ganharem ou
perderem dinheiro, contudo, de nada adianta ele se deslocar se não for técnico,
ou seja, se não “obedecer” a sua técnica. Embora nosso enfoque seja sempre
na análise técnica e estudo de fluxo de ordens, os analistas que levam em
conta os fundamentos das empresas costumam evitar ativos muito voláteis,
costumam classificar como ativos muito arriscados. Portanto, volatilidade para
o trader é boa desde que seja acompanhada de liquidez.

A segunda característica é o Preço. Principalmente quando se fala em ações o
preço é um dado relevante porque as taxas bolsa são calculadas em razão do
volume financeiro. Ativos mais caros demandam mais custos como
emolumentos e em alguns casos até corretagem. Dependendo da técnica, se
for baseada em giros curtos, esses custos podem prejudicar o trade. Quem
possui pouco capital também precisa fugir de ativos muito caros como
Magazine Luiza, BR Foods e Pão de Açucar, porque não é possível, com
pouco capital, entrar em duas operações ao mesmo tempo e fazer parcial.
Contudo, se não for o seu caso o preço importará menos, basta que a entrada

na operação seja proporcional ao preço do ativo. Se o preço for baixo entra
com um número grande de ações, se for caro entra com um número pequeno,
e assim o valor alocado por operação será sempre igual.

Como adiantado anteriormente a liquidez é a característica mais importante de
um ativo e será objeto de um artigo só para ela, fique atento nos próximos dias,
contudo, vamos dar as características principais para que você possa escolher
o seu ativo.

Liquidez é a capacidade de se negociar aquele ativo, ou seja, é o quão fácil é
achar contraparte para negociar o ativo. Esse conceito de liquidez acompanha
qualquer investimento, renda fixa, bolsa, imóveis, etc. Portanto, se a pessoa
tem o ativo e quer vender, ela consegue de imediato? Terá que negociar o
preço, aceitando valores até injustos? Isso é liquidez.

Note que todas as outras características são mais fáceis de se identificar, o
quanto desloca ou o preço, mas a liquidez exige um aprofundamento maior.

Para embasar a afirmação de que a liquidez é a característica mais importante,
lembramos que o critério utilizado para uma ação entrar oi sair do IBOVESPA,
IBRX100 e IBRX50 é basicamente a liquidez, que eles calculam por um “índice
de negociabilidade”.

Evite ativos com baixa liquidez. Não precisa fazer nada muito complexo, basta
olhar no gráfico e ver se o ativo não deixa muitos pavios, se o ativo sobe e
desce de maneira moderada e não vertiginosa, e, se possível, abra o book de
ofertas e veja se tem bastante ordem na compra e na venda, fazendo com que
o preço se desloque em todos os níveis de preço e não “saltem”, mostrando
baixa liquidez.

Espero ter ajudado, em breve publicaremos o artigo explorando um pouco mais
o volume.

Disciplina Hoje.